Pular para o conteúdo
Início » Tecnologia » História dos jogos eletrônicos: como chegamos até aqui?

História dos jogos eletrônicos: como chegamos até aqui?

história dos jogos eletrônicos

Junto com a galera, ou sozinho, não importa, o videogame é sempre a melhor companhia para quem ama se aventurar em mundos de fantasia, ou praticar todas as suas táticas e estratégias de batalha. Essa experiência fica cada vez imersiva com a evolução dos consoles, mas a história dos jogos eletrônicos começou bem diferente.

Os primeiros videogames surgiram bem antes do que muitas pessoas pensam, e como bem explicamos na primeira parte dessa linha do tempo, esse início pode parecer bem chato se comparado com as experiências surreais que a tecnologia atual nos permite atingir.

Realmente, os jogos já inspiraram situações bem tediosas antes de proporcionarem a diversão que a tecnologia atual oferece, mas esse cenário tedioso não permaneceu por muito tempo, pois com a chegada do Atari, a jogabilidade como a conhecemos hoje começou a tomar forma.

História dos jogos eletrônicos: a transformação do Atari

A gente sabe que muitos consideram o lançamento do fenômeno Atari como o surgimento oficial do videogame e, apesar disso não ser verdade, a aclamação pelo console foi tão grande na época de sua aparição, que essa pode sim ser considerada como a segunda grande data para o mundo dos games.

Lançado em 1978 nos Estados Unidos, e em 1983 no Brasil, o Atari 2600 se firmou como um símbolo econômico e cultural da década de 80. Mas nem todo sucesso dura para sempre, não é mesmo? Pegando carona nessa popularidade, surgia um concorrente japonesa que, atualmente, ainda continua liderando o mercado com seu império.

A Nintendo assume a liderança

jogo do mario nitendo

Oferecendo alguns dos jogos mais famosos do mundo, a consolidação da Nintendo aconteceu de uma forma nunca vista antes. Seu primeiro sucesso de vendas foi o console Famicom que, depois de rebatizado para NES (Nintendo Entertainment System), levou ao público dois dos jogos mais famosos de todos os tempos, Mario e Donkey Kong.

Tanta popularidade não passaria despercebida e novos concorrentes já começaram a aparecer e apresentar suas ideias para que o novo “produto da vez” roubasse a nossa atenção. E foi exatamente isso que aconteceu.

Com seu desenvolvimento ainda em maturação, a Sega traz munição para a batalha com o mundialmente famoso Master System. Sabendo que os 8 bits da Nintendo seriam imbatíveis, mesmo com o seu console chegando cada vez perto da concorrente, a empresa decidiu pensar além e apresentou ao mundo o Mega Drive, com incríveis 16 bits.

Uma verdadeira batalha dos consoles

batalha dos consoles entre nitendo e SEGA

Sega e Nintendo entram no campo de batalha com munição e tecnologia para uma disputa que ficou mundialmente conhecida. Depois que o Mega Drive já dominava  a cabeça dos jovens gamers, o Super NES, da Nintendo, entra na briga com os melhores gráficos da década em mãos.

Apesar dessa tecnologia nunca vista antes no mundo dos videogames, a Sega mantinha seus fãs com um número muito superior de jogos, e foi com esses pontos forte que ela segurou a dinâmica da batalha lá em cima. Mario e Sonic não disputavam apenas nos campeonatos da galera, eles se enfrentavam também no campo econômico.

Sony e a penúltima geração

Após esse longo período de disputas entre os dois principais nomes dos videogames daquela década, surge uma nova forma capaz de abalar o mercado até os dias atuais. A Sony abriu caminho para uma nova geração de consoles e a disputa ganhou mais um poderoso concorrente.

A Sega trouxe ao mercado o Saturn, com seus poderosos 32 bits e uma variedade ainda maior de jogos. Já a Nintendo, com seu histórico de surpresas, não preparou o público e surgiu com o N64, o qual os amantes de aventura poderiam se deslumbrar com os 64 bits. E entrando com o pé direito no mercado, a Sony lança seu Playstation, um marco inesquecível.

O console, um queridinho automático de jogadores pelo mundo todo, bateu 100 milhões de aparelhos vendidos e apresentou ao mercado novas possibilidades de pensar características de jogabilidade, design do produto e possibilidades para quem deseja se aventurar em novas dinâmicas.

A história dos jogos eletrônicos: o presente e o futuro

realidade virtual com óculos 3D

O Playstation encerra a penúltima e inicia, ao mesmo tempo, a última faixa dessa linha do tempo.

A segunda edição do console foi lançada no ano 2000 e deu continuidade a trajetória de sucesso que a Sony traçou. A partir dele, acessórios como o formato em DVD começou a surgir e o videogame se tornou muito mais que apenas um console para jogos.

A geração mais recente de consoles expressa uma boa prévia para o futuro, e ela pode ser resumida em três grandes lançamentos. A Sony defendeu sua posição com o Playstation 4, já a Nintendo trouxe interatividade Wii U, e a “novata” Microsoft, que surpreendeu jogadores e especialistas com o Xbox One.

Com uma tecnologia que avança a cada dia, é difícil medir onde os jogos eletrônicos podem chegar. Mas podemos usar como medida a característica que mais vem ganhando destaque entre as opções recentes.

É fácil perceber que todas elas buscam melhorar a experiência do usuários, seja com a realidade aumentada, ou os consoles portáteis, o ato de jogar vem mudando hábitos de mercado e construindo novas possibilidades para enxergar esse hobbie que ganha mais fãs a diariamente.

A gente sabe que essa história não termina por aqui, não é mesmo? E para acompanhar todos os próximos passos desse mercado que tanto amamos, acompanhe as novidades no blog da Brotherss!

Marcações:

Join the conversation